Paris Cine Tour

Paris - Paris Cine Tour

‘Nós sempre teremos Paris’, fala Rick Blaine (Humphrey Bogart) para Ilsa Lund (Ingrid Bergman), no filme Casablanca (1942). E pensar que uma das estórias mais românticas do cinema não foi filmada na Cidade-Luz, mas sim nos estúdios da Warner Bros., a mares e quilômetros de distância da França. Mas, isso não é problema, pois Paris não só foi o palco da primeira exibição cinematográfica, feita em 1885, pelos irmãos Lumière, num café do Boulevard des Capucines, como se transformou num dos destinos mais filmados da História da Sétima Arte. Confira aqui alguns dos lugares mostrados na telona, e outros que se tornaram campeões de audiência entre o público que visita à cidade.

Le Grand Café
O cine-tour por Paris começa por um prédio que se tornou testemunha da primeira exibição cinematográfica: Le Grand Café. No seu salão indiano, em 28/12/1895, foram exibidos os primeiros filmes realizados pelos irmãos Lumière, entre os quais: ’A Saída dos Funcionários da Fábrica’ e ‘A Chegada de um Trem na Estação’. Dizem que, ao ver a cena do trem entrando na estação, a plateia ficou com medo e quase saiu correndo do espaço. Le Grand Café foi transferido do número 14 para o 04 do Boulevard des Capucines. No local foi colocada uma placa em homenagem a este evento tão relevante para o surgimento da Sétima Arte.

Torre Eiffel
O monumento projetado por Gustave Eiffel oferece, desde 1889, a mais bela vista de Paris. Localizada aos pés do Rio Sena, a Torre Eiffel virou sinônimo de romantismo e palco de pedidos de casamento. Foram muitos os filmes que a mostraram em cena, entre os quais estão: Cinderela em Paris (1957), ‘Quando Paris Alucina’ (1964), ‘Os Incompreendidos’ (1959), ‘007 Na Mira dos Assassinos’ (1985), ‘Surpresas do Coração’ (1995), ‘À Francesa’ (2003), ‘Paris, Eu Te Amo’ (2006), O Diabo Veste Prada (2006), Meia Noite em Paris (2010) e ‘Frances Ha’ (2012). Metrô Bir Hakeim.

Ponte Bir Hakeim
A ponte Bir-Hakeim ficou famosa ao ser mostrada em ‘O Último Tango em Paris’ (1972). Na cena, Paul (Marlon Brando) caminha embaixo da estrutura, visivelmente angustiado e incomodado com o barulho do metrô. Ele passa por Jeanne (Maria Scheneider), sem imaginar que ambos irão se reencontrar num apartamento da Rue de l´Alboni, 1 (ponte e prédio na foto). No seu '2 Dias em Paris' (2007), Julie Delpy prestou uma homenagem ao clássico de Bernardo Bertolucci. A Bir Hakeim oferece uma vista belíssima da Torre Eiffel, usada como cenário para albuns de casamento. Metrô Bir Hakeim.

Ponte Alexandre III
Entre as imagens cinematográficas mais recentes da elegante Ponte Alexandre III, a mais lembrada é de Gil Pender (Owen Wilson) observando a Torre Eiffel dali, antes de reencontrar-se com Gabrielle (Léa Seydoux), em Meia Noite em Paris. Antes deste, outros filmes já haviam usado a romântica -e fashion- estrutura como cenário para suas estórias, por exemplo: Cinderela em Paris, '007 Na Mira dos Assassinos', 'Prêt-à-Porter' (1994), 'Sabrina' (1995), 'Ronin' (1998) e 'Paris, Eu Te Amo'.

Rio Sena
O rio Sena corta Paris de ponta a ponta e possui cerca 37 pontes. A sua Margem Direita virou sinônimo de elegância e glamour; a Margem Esquerda ficou associada a movimentos intelectuais, artistas e escritores, e, no meio do rio, na Île de la Cité, a Catedral de Notre-Dame domina a paisagem. Para conferir este cenário, as dicas são: Cinderela em Paris, ‘Jules e Jim – Uma Mulher Para Dois’ (1962), Todos Dizem Eu Te Amo (1996), A Identidade Bourne (2003), Antes do Pôr-do-Sol (2004), ‘Paris, Eu Te Amo’, Meia Noite em Paris e 'Frances Há'. Metrô Cité.

Shakespeare & Company
A livraria especializada em livros escritos na língua inglesa foi aberta, originalmente, em 1919, na rue Dupuytre, 8, pela americana Sylvia Beach. A versão mais recente da Shakespeare & Company data de 1952, fica na rue de la Bûcherie, e foi mostrada nos filmes ‘À Francesa’ e Meia Noite em Paris. No entanto, ela – e sua aparência com ares de sebo - é mais lembrada por Antes do Pôr-do-Sol. É lá que Jesse (Ethan Hawke) participa de um debate sobre o seu livro, “This time”, baseado na sua história de amor com a parisiense Celine (Julie Delpy).

Champs-Elysées
A Champs-Elysées é tão elegante que chegou a ser imitada por outras vias públicas de várias cidades europeias. Entre o Jardin des Tuileries e o Arco do Triunfo, muita cena foi rodada por ali, dentre as quais se destacam: a de Dick Avery (Fred Astaire) cantando e dançando, assim que põe os pés na cidade, em Cinderela em Paris, e a da dupla Michel (Jean-Paul Belmondo) e Patrícia (Jean Seberg), caminhando pelo meio da avenida, enquanto ela vende jornais aos passantes, em 'Acossado' (1960). Outros títulos com cenas na área incluem: 'Quando Paris Alucina', Todos Dizem Eu Te Amo, O Diabo Veste Prada, 'Paris, Eu Te Amo', 'As Férias do Mr. Bean' (2007) e Meia Noite em Paris.

Musée du Louvre
O Museu du Louvre acumula uma série de méritos: é o mais famoso do mundo, um dos maiores de todos e detentor de algumas das mais valiosas obras de arte, como a Vitória de Samotrácia, que brilha e inspira Jo Stockton (Audrey Hepburn) em Cinderela em Paris, e a pintura de Leonardo Da Vinci, ‘Mona Lisa’, que é envolvida num intricado caso de assassinato em O Código Da Vinci (2006). Este último também mostra a fachada do museu, que inclui um conjunto de pirâmides de vidro. Outros títulos com cenas na área são ‘Surpresas do Coração’ (1995), ‘Os Sonhadores’ (2003) e Meia Noite em Paris.

Torre de Montparnasse
A Torre de Montparnasse é o palco de uma das cenas mais simpáticas de ‘Paris, Eu Te Amo’ (2006). Trata-se da estória de uma solitária americana de meia-idade, que economiza por anos a fio para poder viajar à Paris, conhecer a cidade e praticar o seu francês. Do alto da torre, ela deseja estar acompanhada e dividir a alegria de apreciar uma vista tão linda de Paris. A direção do curta '14eme Arrondissement' é do excelente Alexander Payne. Anote: 33, Avenue du Maine, entre o Boulevard de Montparnasse e o Boulevard de Vaugirard.

Escadaria da Igreja de St. Etienne
A Igreja de St.-Etienne-Du-Mont fica ao lado do Panthéon e perto da Universidade de Sorbonne. Ela apareceu no filme ‘O Piedoso Ladrão’ (1963), mas virou ponto de encontro de cinéfilos-peregrinos ao ter os seus degraus mostrados no filme de Woody Allen, Meia Noite em Paris. É ali que, noite após noite, Gil Pender (Owen Wilson) aguarda um antigo Peugeot, que o transportará para a companhia de representantes da 'Geração Perdida', e para às emoções da década de 1920. Anote: Rue Descartes, 30, acesso pelo metrô Cardinal Lemoine.

Promenade Plantée
Ao terminarem de assistir Antes do Pôr-do-Sol, fãs da dupla Jesse (Ethan Hawke) e Celine (Julie Delpy) ficaram com, pelo menos, uma pergunta na cabeça: ‘qual o endereço do jardim suspenso em que o casal caminha por alguns minutos?’. O lugar se chama Promenade Plantée e é mesmo tão charmoso quanto parece ser na tela. Ele é frequentado pelo público da região (trabalhadores, moradores e esportistas), turistas em geral e alguns mendigos. O acesso se dá ao longo da Av. Dasmesmil e o melhor metrô é o Bastille.

Gare Du Nord
A Gare du Nord fez parte do roteiro dos viajantes de ‘Volta ao Mundo em 80 Dias’ (1956) e Sr. Bean em ‘As Férias de Mr. Bean’; Jo (Hepburn) posou para Dick (Astaire), como se fosse Anna Karenina, em Cinderela em Paris; a gare fez as vezes da Grand Central Station em ‘Era Uma Vez na América’ (1984); foi o ponto de embarque, desembarque e apoio estratégico de Jason Bourne em A Identidade Bourne e O Ultimato Bourne (2007); e, foi por lá que o inglês William (Kevin Bishop) chegou à Paris, em ‘Bonecas Russas’ (2005).

Montmartre
O bairro de Montmartre e a sua principal estrela, a Basílica de Sacré-Couer, são imagens frequentes de grandes produções de cinema. Entre os filmes que ambientaram cenas por lá estão ‘Sabrina’ (1954), Cinderela em Paris, E Agora Brilha o Sol (1957), ‘Os Incompreendidos’ (1959), ‘Quando Paris Alucina’, 'Paris, Eu Te Amo' e ‘O Pequeno Nicolau’ (2009). Em O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (2001), quase toda Montmartre – e alguns arrondissements próximos – serviram de cenário para as peripécias de Amélie (Audrey Tautou).

Moulin Rouge
No filme de Baz Luhrmann, ‘Moulin Rouge’ (2001), o titudo foi inspirado no famoso clube noturno, conhecido pelos shows de cancãs das suas Doris Girls. Na obra do diretor australianao, o Moulin Rouge é palco de uma estória de amor ambientada no final do Séc. XIX, entre a cortesã Satine (Nicole Kidman) e o poeta Christian (Ewan McGregor). Em Meia Noite em Paris, Gil (Owen Wilson) e Adriana (Marion Cotillard) assistem a um dos shows da casa e conversam com Toulouse-Lautrec, Paul Gauguin e Edgar Degas. Anote: 82 Boulevard de Clichy; metrô Blanche.

Café Des 2 Moulins
O lugar mais animado do filme O Fabuloso Destino de Amélie Poulain é o ambiente de trabalho da jovem Amélie (Tautou), o Café des 2 Moulins. Na ficção, além da protagonista, o lugar é ponto de encontro de tipos divertidos, como as outras funcionárias da casa, Gina (Clotilde Molet) e Georgette (Isabelle Nanty), e os fregueses, Hipólito (Artus de Penguern) e Joseph (Dominique Pinon). No dia a dia, os frequentadores do café são moradores de Montmartre e adjacências, e turistas do mundo inteiro. Anote: Rue Lepic, 15, metrô Blanche.

Versalhes
Luíz XIV o transformou no palácio mais ostentoso da Europa, mas Maria Antonieta foi a residente mais famosa de Versalhes. A história da jovem rainha foi mostrada por Sofia Coppola, em ‘Marie-Antoinette’ (2006), desde a sua chegada ao palácio, ainda adolescente, até o seu final, por ocasião da Revolução Francesa. Sofia filmou em quase todas as áreas do palácio. Woody Allen, por sua vez, mostrou os jardins e a Galeria dos Espelhos em cenas de Meia Noite em Paris. Anote: saindo de Paris, pela linha C dos trens RER, chega-se na estação Versailles-Rive-Gauche-Chatêau.

Instituto Lumiére, em Lyon
A Villa Lumière, localizada na cidade de Lyon, foi a residência de Auguste e Louis Lumière, os inventores do cinematógrafo e criadores do primeiro filme de que se tem notícia, Sortie d´Usine (em português, “A Saída dos Funcionários da Fábrica”). O lugar foi transformado num espaço dedicado a história dos irmãos e do próprio cinema. Dentro da antiga mansão fica o museu, com a memorabília da família Lumière e os inúmeros equipamentos visuais inventados por eles. Na parte externa da vila estão o Hangar du Premier-Film (foto), o Cinéma Lumière, o Muro dos Cineastas e um bem cuidado jardim de inverno, usado pelos moradores de Lyon como um espaço de lazer e descanso. Saiba mais sobre o Instituto Lumière, clicando aqui.

IMPRIMIR