O Ultimato Bourne

O Ultimato Bourne

boune warteloo.jpg “O Ultimato Bourne” (The Bourne Ultimatum) é o último filme da trilogia Bourne -iniciada com "A Identidade Bourne" e seguida por "A Supremacia Bourne"- e foi dirigido por Paul Greengrass. Ele começa carregado de adrenalina, com o nosso herói sendo perseguido pela polícia russa, em Moscou (cenas filmadas em Berlim, na Alemanha), dando sequência àquela mostrada no final de “Supremacia”, antes dele seguir para Nova York, à procura de Pamela Landy. Para entendermos o que acontece com Bourne entre Moscou e Manhattan, “Ultimato” faz uma série de paradas estratégicas em Madri (Espanha), Paris (França) e Londres (Reino Unido), e nos mostra – finalmente – quem é Jason Bourne.

Um café em Turim. Turim?
Após os estragos que fez pelo Continente Europeu, Jason Bourne desperta a atenção da mídia. O jornalista britânico, Simon Ross (Paddy Considine), passa a dedicar-lhe uma série de reportagens intituladas “Quem é Jason Bourne?”. Ross tem como fonte de informação o alto executivo da CIA, Neal Daniels (Colin Stinton), com quem marca um encontro num café em Turim, na Itália. Bem, isso é o que o filme quer nos fazer entender. O lugar, na verdade, é o Café del Principe (foto ao lado), localizado na Plaza de Canalejas, 5, no centro de Madri, pertinho da famosa Puerta del Sol. No Turim, baby! Eu estive no café para sentir o clima do lugar. Nostalgia, total!

Pistas sobre o passado de Bourne no 'The Guardian'
Simon Ross faz parte do time de jornalistas do jornal britânico The Guardian. De Turim, ele volta para Londres e liga para o chefe, para falar-lhe sobre a ‘operação Blackbriar’. O que Ross não sabe é que sua mensagem foi interceptada e que ele entrou para a blacklist da CIA. Membros da organização americana, capitaneados por Noah Vosen (David Strathaim, do fantástico “L.A – Cidade Proibida), passam a seguir os passos de Ross, a começar pelo seu local de trabalho. No filme, a sede do The Guardian, no 119 da Farringdon Road, aparece numa cena aérea. Em solo, o filme usou como a sede do jornal, um prédio comercial, localizado no 78–83 da Hatton Garden (veja na foto ao lado; acesso pelo metrô Farringdon).

Jason retorna à Gare du Nord, em Paris
Assim como fez em Moscou, ao procurar a filha do casal que executou em seu primeiro trabalho para a CIA, Bourne vai até Paris falar com o irmão de Marie, Martin (Daniel Brühl), sobre a morte da jovem. De lá, ele segue para a sua velha conhecida Gare du Nord, onde compra um “The Guardian” e lê, com interesse, o que Ross escreve sobre sua vida. Bourne quer descobrir quem é a fonte do jornalista e marca um encontro com ele na Waterloo Station, em Londres (detalhe: atualmente, quem viaja de trem de Paris para a capital inglesa, chega pela St.Pancreas Internacional).

Perseguições de tirar o fôlego na Waterloo Station
Jason combina de encontrar-se com Ross na entrada sul da Waterloo Station e logo percebe que o jornalista não está sozinho. Para livra-lo das garras dos membros da CIA, ele bola uma fuga que começa do lado de fora da estação e continua dentro da área de passageiros, considerada uma das mais movimentadas da Europa. Bourne não consegue salvar Ross do franco-atirador, Paz (Edgar Ramirez), mas obtem o nome do homem que sabe quem ele é e o que Blackbriar significa. Sobre a Waterloo Station, quando eu a visitei, em outubro/15 (veja foto ao lado), eu me senti muito vulnerável, com tantas câmaras acompanhando os meus passos e o de todas as pessoas naquela estação. E culpo o filme por isso - risos!

'Procurando Neal' em Madri
O destino seguinte de Jason é a capital espanhola: ele quer ser o primeiro a encontrar Neal Daniels. O prédio da CIA na cidade fica no número 10 da Calle de la Virgen de los Peligros (um nome de rua apropriado para o filme em questão). Jason observa o lugar de um canto da Calle de los Jardins (mais ou menos como na foto ao lado). À noite, ele faz a sua entrada estratégica ao lugar, em busca do paradeiro de Daniels. No local, ele reencontra Nicky (Julia Stiles) e, juntos, seguem para Tânger, na África, destino para onde Daniels ‘vaza’ assim que sabe da morte de Ross. Eu ainda não visitei a África, mas, quem viu o filme, conseguiu se surpreender com a sequência de perseguições e lutas envolvendo Bourne e Desh (Joey Ansah), pelos telhados da cidade africana: um querendo salvar Nicky, o outro querendo matá-la.

A revelação de Pamela Landy
Após a aventura na África, Jason segue para Manhattan à procura de Pamela Landy. Quando os dois se falam, nós entendemos a razão da ligação dele para ela, mostrada na última cena de “A Supremacia Bourne”. Ela lhe informa que seu nome verdadeiro é David Webb e que ele ‘nasceu’, no 415 da 71st Street. Antes de chegar lá, Jason precisa pegar os documentos da operação Blackbriar que estão em poder de Vosen. Falando em códigos com Landy, ela a envia para a Tudor City, uma praça localizada entre a 42nd Street a 1st Avenue (foto ao lado).

A 'verdade' sobre Jason Bourne
Jason vai ao centro de treinamento da CIA, no 415 da 71st Street, a fim de descobrir como se transformou num matador profissional. Lá, ele se encontra com Landy e entrega para ela os documentos que incriminam Vosen e metade dos executivos da casa (para mim, uma daquelas cenas mais aguardadas da trilogia); depois, ele tem uma conversa de homem-para-homem com seu ‘criador’ (Albert Finney) e, por fim, outra conversa com Paz, numa alusão a mesma que teve, em "A Identidade Bourne", com o ‘Professor’ (Clive Owen). O final da história, só assistindo ao filme para saber. O que posso dizer aqui é, se desejar visitar o prédio aonde Bourne ‘nasceu’, vá até o número 60 da Lafayette Street. Na 71st Street, você só vai encontrar a placa que aparece na foto ao lado, onde Bourne para e contempla o edifício da CIA, lembrando de quando ali entrou pela primeira vez.

Créditos
Título Original (Ano): The Bourne Ultimatum (2007)
Direção: Paul Greengrass
Fotos do filme: Universal Studios
Texto e fotos das locações: Fran Mateus
Visitas às locações feitas em 2014 e 2015.

IMPRIMIR